Infraestruturas

Centro de Interpretação da Paisagem da Amendoeira da Serra

Constituído por uma exposição, por um conjunto de percursos interpretativos e por materiais informativos de apoio à interpretação da paisagem, o Centro de Interpretação da Paisagem da Amendoeira da Serra (CIPAS), mais do que um espaço, é um meio para sensibilizar a população local e os visitantes, para a importância do significado da paisagem contribuindo para a valorização ambiental e cultural da região, para a auto - estima dos habitantes pelo seu território e para o reforço da identidade local, ao que se alia a criação e surgimento de pequenas atividades que carater económico. 


O CIPAS foi inaugurado em 2003, enquadrando-se no denominado Projeto Integrado de Mértola, iniciado nos anos 80, e surge com a proposta de constituição de uma rede de centros ao nível do Concelho de Mértola, a qual é posta em prática no ano 2000, com a recuperação da antiga escola primária da Amendoeira da Serra. 

A sua área de influência, devido à grande diversidade natural e patrimonial e à proximidade do Pulo do Lobo, contem alguns pontos - chave, particularmente adequados à interpretação da paisagem, tanto na sua dimensão temporal como espacial. A Amendoeira da Serra, o Mosteiro, o Cerro da Bandeira, a Anta das Pias, o Moinho do Escalda e o Pulo do Lobo, constituem exemplos únicos da mescla que constitui o Homem, a Paisagem e o Tempo.

O CIPAS tem como objetivos ajudar o visitante a descobrir a capacidade narrativa e incitá-lo a “ler” a paisagem, a explorar a multiplicidade de dinâmicas e a complexidade de padrões que compõem a estrutura do território envolvente, com base no conhecimento do património cultural e natural, assimilando que a paisagem se traduz num processo em constante transformação, que transita lentamente de estado para estado, e que se mantém sempre em estreita ligação com o seu passado. No CIPAS, os sentidos reconhecem a importância dos valores culturais, naturais e científicos presentes, alertando-os para a necessidade da sua preservação e correta gestão, de acordo com atitudes de cidadania e com os princípios da sustentabilidade, alicerçada em atitudes cúmplices de entreajuda entre o Homem e a Natureza.